8 de set de 2010

Histórico 1905-1955

• 1905 - Fundação

Em fins de 1903, chegava ao Recife, procedente da Inglaterra, um jovem com 18 anos, que durante cinco anos, estudara engenharia na Universidade de Cambridge e ficou fascinado pelo espírito esportivo dos estudantes ingleses.
 
Girton College, Universidade de Cambridge. c. 1890-1900. Photochrom impressão publicada pelo Detroit Publishing Company, 1905.
 
De lá, ele trouxe em sua bagagem não só materiais relacionados ao futebol como: bola, meiões, chuteiras e camisas com listras vermelhas e pretas, como também, apetrechos relacionados ao cricket, rugby e tênis muito popular na terra da Rainha Alexandra. Pois o pensamento de Guilherme era difundir outros esportes na capital pernambucana e fundar um clube.

Panorâmica da cidade do Recife no mês de fundação do clube. Maio de 1905.

No Recife, do início do século XX, quase não havia atividades esportivas. Para se ter uma ideia, só existiam dois clubes sociais importantes: o Club Internacional do Recife, fundado em 1885 e que exercia a prática do remo e já em decadência, resumindo-se aos bailes sociais; e o Club Nautico do Recife, fundado em 1898 e anteriormente chamados de  Clube dos Pimpões e Recreio Fluvial, um clube exclusivamente de regatas, que realizava competição entre si, por não haver outros clubes para competir. 
Tinha o turfe, que começou com grande prestígio no final do século XIX, a ponto de surgirem em 1888, ano da abolição da escravatura, três prados: Derby Club, Hipódromo e o Pernambucano (atual Jóquei Clube de Pernambuco, único em atividade), o gosto pelas corridas de cavalos foram perdendo força, até que em 1900, os dois primeiros prados já não existiam mais.
Como se sabe, o Football Association foi fundado na Inglaterra em 1863. E foi na região de Cambridge, que as primeiras regras do futebol foram criadas. Sendo assim o sentimento em que Guilherme tinha em si, por ter estado naquela mesma região, o berço do esporte bretão, é de fato o legítimo espírito futebolista. No Brasil, naquela época, alguns dos principais centros esportivos como: São Paulo (1894), Rio de Janeiro (1897), Rio Grande do Sul (1900) e Bahia (1901), já praticavam o futebol. Guilherme de Aquino estava determinado a difundir o futebol a qualquer custo, mesmo com às adversidades. Alguns de seus colegas que estudaram com ele na Europa e praticaram futebol por lá, não tiveram coragem de se exibirem nos campos recifenses, pois os pais não consentiam, por acharem um esporte ridículo, violento e de loucos. Guilherme Aquino aproximou-se dos dirigentes do Club Nautico do Recife por diversas vezes, tentando convencê-los a aderirem a prática do foot-ball, no entanto, grupo contrário, encabeçado pelo influente Bento Magalhães, ligado ao turfe, convenceu os dirigentes do Club Nautico a não aderirem ao futebol, alegando que o clube era exclusivamente de regatas. Guilherme Aquino não desanimou e aliou-se aos ingleses da Great Western, empresa construtora de ferrovias e da Western Telegraph, empresa responsável pelos cabos telegráficos submarino. Os ingleses já estavam estabelecidos em Pernambuco desde 1873, jogavam suas peladas nos quintais de suas casas e o rigor moral da época inibiam os nativos a arriscarem a jogar o futebol, extremamente discriminado pela alta sociedade recifense. Guilherme Aquino que falava bem a língua inglesa, não teve dificuldades no relacionamento com os britânicos. Logo novos adeptos recifenses começaram a praticar o futebol em campos improvisados e na Campina do Derby. Difícil foi aturar as gozações, xingamentos e até pedradas dos opositores. Mas pouco a pouco, Guilherme Aquino conseguia mais adeptos e em 1904, reuniu onze jogadores e formaram uma equipe, onde confrontaram-se com uma equipe formada por funcionários da Western Telegraph, não há registro do resultado da partida, mas o primeiro passo foi dado.

A nova meta de, Guilherme de Aquino, agora com 20 anos, era fundar um clube, e seu objetivo foi realizado em 13 de Maio de 1905, quando foi fundado o Sport Club Recife, primeiro clube de futebol de Pernambuco. 
Primeiro escudo do Sport Club Recife, ressaltando os esportes por ele praticado desde sua fundação.
 
A fundação do Sport ocorreu ao meio dia, no salão da Associação dos Empregados do Comércio de Pernambuco, que foi gentilmente cedido para a ocasião. Ao todo, 67 sócios foram admitidos como fundadores do clube, mesmo sem todos os nomes constarem na ata de fundação do Clube. Dias depois da fundação, mais precisamente em 28 de maio, foi formada a primeira diretoria do Sport, com a seguinte formação:
Presidente - Elysio Alberto Silveira, Vice-presidente - Boaventura Alves Pinho, 1º Secretário - Mário Sette, 2º Secretário - Frederico Rúfilo de Oliveira, Tesoureiro - Oscar Torres, Procurador - Alberto Amorim, Diretor de Esportes Terrestres - Guilherme de Aquino Fonseca, Diretor de Esportes Marítimos - Paulino de Miranda, Diretor da Tuna Musical - Carlos Meneses.


Ata de formação da primeira diretoria do Sport.

Guilherme de Aquino Fonseca, deixou o seguinte depoimento sobre o processo de fundação do Sport Club Recife:
"Nessa época, eu havia instalado um estabelecimento de modas, para ambos os sexos, com o maior luxo da cidade, denominado de Casa Metrópole e situado na antiga Rua Nova. Ali reuniam-se os grupos que discutiam a organização de um clube, tornando-se o ponto predileto dos portmen, como bem diz o Mário Sette, nosso primeiro secretário, no seu livro Maxambombas e Maracatus. Era o viveiro das ideias esportivas. Foi, afinal, o Sport Club Recife, o nosso grande baluarte, organizado e, podemos dizer, fundado nesse estabelecimento comercial que, produzindo esse acontecimento, terminou sendo fechado, por isso que, moço como era (20 anos), tendo uma criação fidalga, a desconhecer o valor do dinheiro, deixei de ter as necessárias cautelas financeiras, desviando os meus cuidados e as minhas atenções da parte comercial para me entregar de corpo e alma ano nosso clube. Não seria lógico e decente a fundação de uma agremiação esportiva nos fundos de uma loja, pelo que obtivemos a gentil e generosa aquiescência do presidente da Associação dos Empregados do Recife, a fim de que os seus salões e dependências fossem abertas para honrar a primeira assembleia de instalação e fundação do Sport Club Recife."
 
Das conversas iniciadas à sombra do sagrado sapotizeiro, teve início a gloriosa história do maior clube do Norte/Nordeste do país. A proporção que o Leão tomaria nunca fora imaginada por seus fundadores. Contudo a visão já era de um clube que se tornaria uma potência:

"O Sport será um autêntico campeão, pois nasceu sob o signo da valentia e dele jamais se apartará."
Guilherme de Aquino Fonseca, 1905.
 
 
1905 - Primeira Partida
 
Após a fundação do clube e posse da diretoria, só faltava o jogo inaugural. Que só aconteceu no dia 22 de junho de 1905, no antigo Prado da Estância, onde no século passado havia servido de Hipódromo e de pista para corridas de bicicletas. Na ocasião do jogo, o cenário chamava-se Campina do Derby (Atual Campo do Derby, da Polícia Militar), o jogo estava previsto para às 16 horas, mas só começou às 16 horas e 30 minutos, por causa das solenidades. O resultado do jogo foi 2x2, e a equipe do Sport Club Recife estava mesclado de jogadores ingleses, mas a maioria de pernambucanos. O Sport jogou com: L.F. Lhaton no gol, L.Parrot e Nosworthy na zaga; A.G.Silva, Calander e Ramiro no meio; Guilherme Aquino (capitão), Coimbra, Alberto Amorim, J. Gonçalves e Torquato Gonçalves no ataque. O English Eleven formou com: Pratt, Chandler e Dauwson; Pickwood, Clack e Mielar; Rowley, Cook, Bradford, Oliver e Sthelin.

Esteve bastante concorrida a festa de inauguração deste clube, comparecendo crescido número de senhoritas e cavalheiros. Constou o festival de uma partida de footboll no dia 22 de Junho do mesmo ano, às 16h30, em que tomaram parte sócios do Sport Club e do English Eleven. A partida foi bem jogada de ambas as partes, havendo um empate em 2x2. Felicitamos a diretoria do Sport Club pelo empate alcançado, pois sendo uma sociedade nova, não se deixaram vencer pelo English Eleven, um time formado por ingleses, funcionários de companhias britânicas. - Diário de Pernambuco (24/06/1905) Pelos comentários do Jornal do Recife, talvez o jornal que melhor tenha resumido o jogo, o Sport começou atacando e depois o English Eleven equilibrou, o campo no Derby estava cheio de lama, onde hoje é o campo da PMPE, o jogo foi assistido por famílias e animado pela banda da polícia militar, os destaques do Sport foram Amorim Colander no meio e Torquatro Gonçalves que marcou um gol de cabeça.

Quando o Diário de Pernambuco publicou a notícia do primeiro jogo do Sport Club Recife:
“Inaugura, hoje, às 4 1/2 da tarde esta sociedade esportiva, com uma partida de foot-ball, as diversões que pretendem proporcionar aos seus associados. O logar marcado é o campo confronte ao mercado do Derby”, relata a nota. Dois dias depois, esboça-se um das primeiras coberturas futebolísticas do Diario: "Esteve bastante concorrida a festa de inauguração deste club, comparecendo grande numero de senhoras e cavalheiros. Constou o festival de uma partida de foot-ball em que tomaram parte sócios do Sport Club e do English Leven. A partida foi bem jogada de ambas as partes, havendo empate. Felicitamos à diretoria do Sport Club pela Victoria alcançada, pois, sendo uma sociedade novel, não se deixou vencer pelo English Eleven”.
 
Convite para o Primeiro Jogo
Primeiro Time do Sport: Goleiro: L. F. Lhaton / Zagueiros: L. Parrot e E. Nosworthy. / Médios: A. G. Silva, Calander e Ramiro. / Atacantes: Guilherme Fonseca (capitão), Coimbra, Alberto Amorim, J. Gonçalves e Torquatro Gonçalves.

 
• 1906 - A Primeira Vitória
 
A primeira vitória da equipe que viria a ser a maior potência do Norte-Nordeste é algo que deve ficar sempre vivo na memória dos amantes do futebol e claro, da nação rubro-negra. Ela aconteceu no dia 29 de abril de 1906. O primeiro adversário a cair diante do Leão era franco favorito para a partida que viria a seguir. O Western Telegraph que foi derrotado por 1 x 0, novamente no campo do Derby. O gol foi marcado pelo atacante Fellowes, aos 37 minutos do primeiro tempo. A simpatia crescente por parte da torcida pela garra demonstrada pela equipe rubro-negra começava a aparecer.
A primeira vitória, saindo quase um ano após a fundação oficial, frente a uma equipe com mais experiência e estrutura, fez o Leão começar a rugir. A novidade iria se tornar hábito logo, logo. "Vitória do Sport".

• 1909 - Primeiro registro de futebol na mídia local 
 
Depois de sacramentada a introdução do futebol em Pernambuco, era preciso popularizar o esporte bretão no Estado, mas os primeiros anos foram muito difíceis, a imprensa não dava muita importância, para se ter uma ideia, a primeira foto publicada sobre futebol só surgiu em 1909, pelo Jornal Pequeno do Recife, que publicou a foto da equipe de futebol do Sport Recife.
 
A primeira foto sobre futebol publicada pela imprensa pernambucana, foi em  junho de 1909, pelo extinto Jornal Pequeno do Recife, registrando o Sport Club Recife.
• 1909 - Primeiro Clássico dos Clássicos
 
 
Imagem utilizada pelo Jornal Pequeno para ilustrar matéria referente ao primeiro Clássico dos Clássicos, em 24 de Julho de 1909.

 "Foi uma festa esplendida a que hontem se realisou no magnifico campo do British Club, onde enorme multidão enthusiasmada assistiu ao primeiro encontro das nossas duas mais sympathisadas sociedades athleticas, como sejam o Club Nautico e o Sport Club."
Há muito que aqui uo Recife não tínhamos o prazer de assistir á uma festa tão concorrida e que pela sua propria natureza enthusiasmasse tanto aos espectadores; durante todo o tempo da qual prevaleceu a maxima alegria e cordialidade, terminando em saudações reciprovamente feitas á champagne entre os associados dos dois referidos clubs e entre brazileiros e inglezes. Decididamente o football é um magnífico diplomata!!
O kick-off foi dado pelo Sport Club, tendo a bola sido passada pelo seu respectivo center-forward, sr. Logan Griffith, ao seu companheiro da direits, srs. S. Marsh, passando destes para os half-backs do Club Nautico e cahindo finalmente em poder dos fowards deste ultimo team. De posse da bola, o sr. Maunsell fez esplendido dribling e, avançando com grande mestria, vaza pela primeira vez o goal do Sport Club, entre bravos enthusiasticos dos partidarios de seu club. Novo kick-off é dado pelo Sport Club e entre passes aqui e ali cahe a bola em poder dos forwards do Club Nautico, que outra vez avançam para o goal inimigo, fazendo esplendida combinação nos passes.
Rebatida pelos backs do Sport Club, a bola, entre driblings e passes, é trazida até as proximidades do goal do Club Nautico sendo então arremessada para longe por um ponta-pé certeiro do sr. Montagne-Smith, full-back da direita.
Assim continúa o jogo quando poucos minutos antes do intervallo um novo goal é obtido pelo Club Nautico. Depois do intervallo, coube. com era direito, aos forwards do Nautico o kick-off, dando-se então novos passes aqui é driblings acolá, sendo a bola rebatida para a frente e para traz, cahindo em poder do sr. Frank Fellows, forward do extremo esquerdo do Sport, que passa ao sr. L. Griffith.
Este jogador faz então um magnifico rush para o goal do Nautico. Porém o full-back da direita, sr. Avila, rebate a bola, a qual cahe em poder dos forwards do Nautico, os quaes avançam resolutamente para o goal do Sport, que é então vazado, pela terceira vez, por um ponta-pé do sr. D. Thomas, si não nos enganamos.
Novo kick-off é dado pelos forwards do Sport, cujos jogadores avançam para o goal inimigo, sendo, porém, a bola rebatida pelo sr. Ivatt, ceutre forward do Nautico. Novamente cahe a bola em poder dos forwards do Sport e entre avanços e recuos chega perto do goal do Nautico. O sr. Logan Griffith dá um esplendido ponta-pé, porém a bola bate no poste do goal e recua, cahindo então em poder do Sr. C. Chalmers, o qual vaza o goal do Nautico.
Todos os jogadores do Nautico portando-se muito bem, principalmente os srs. H. Avila, Cook, Ivatt e Ramage, na defesa, e Thomas Silva e Maia na linha de forwards. O sr. Rolland Maunsell, center forward e capitão é que hontem mais uma vez firmou os seus creditos de um magnifico dribler, mostrando saber jogar bem e muito bem, cabendo de certo a elle a maior somma na victoria do Nautico.
Dos jogadores do Sport Club salientaram-se os srs. N. D. T. Oliver e W. Muller o ultimo dos quaes jogou esplendidamente, fazendo muito boa defesa. Os forwards do Sport  hontem estavam infelizes nos seus passes, dando isso motivo a que a bola quase sempre cahisse em poder dos halfs-backs do Nautico. O sr. Logan Griffith jogou bem, porém foi pouco auxiliado pelos seus companheiros de linha, alguns dos quaes adoptaram muito o jogo pessoal.
O sr. Guilherme Fonseca, esforçado propagandista do football no nosso meio sportivo  deve estar satisfeito com o resultado que aqui já vai tendo o seu trabalho, ultimamente coroado com esplendidas festas sportivas, dentre as quaes salientou-se a de honem.
Terminado o jogo seguiram para o palacete do British Club, os jogadores que tomaram parte no match, e mais membros da directoria do Sport, do Nautico, e do British Club, e grande numero de associados das duas sociedades amigas.
Ao ser servido o champagne, ouviram-se os seguintes brindes: do sr. Carlos Bessoni, em nome do Nautico ao Sport Club e ao British Club, do sr. Oscar Pires em nome do Sport Club ao Nautico  e a Inglaterra, do sr. João Amorim Junior ao sr. Geo Boule e ao sr. Guilherme Fonseca, como iniciador do jogo de futebol em Pernambuco, ao sr. Maximiano Botelho e ao sr. Ernesto Pereira Carneiro, do sr. Geo Boule ao Brazil, e de um illustre moço, cujo nome nos escapa, á família pernambucana.
Durante os brindes foram cantadas diversas canções em inglez alusivas ao jogo.”
Jornal Pequeno, 26/07/1909
 
 
O Club Nautico do Recife que foi fundado em 7 de Abril de 1901, como clube de regatas (remo), resistiu durante quase oito anos contra a introdução do futebol no clube. Mas muitos atletas do remo do Nautico, não concordavam com a atitude dos dirigentes e se misturavam com atletas do Sport Recife para jogarem futebol na Campina do Derby, o que provocou uma reação do Presidente do Club Nautico, Ernesto Pereira Carneiro, que temendo uma debandada de atletas e associados para o clube leonino. Juntamente com o seu irmão, Camilo Pereira Carneiro, modificou o estatuto do clube numa Assembléia Geral realizada em 14 de Julho de 1909, aderindo ao futebol, com uma ressalva, atletas negros não vestiam a camisa alvi-rubra. Após a adesão, o Presidente Ernesto Pereira acertou um amistoso contra o Sport Recife, que foi realizado no British Club, em Ponte D’Uchoa, no dia 24 de Julho de 1909, atraindo grande público, o Club Nautico do Recife jogou de camisa branca com distintivo e calção branco, formou com: H.King, E.Montagne Smith e H.A.Ávila; R.Ramage, F.M.Ivatt e John Cook; A.Silva, H.Grant Anderson, R.Maunsell, D.Thomaz e João Maia- reservas: MacPherson, Linesman e A.Chalmers. O Sport Club Recife jogou de camisa vermelha e preta e calção branco, formou com: L.Latham, N. Oliver, W.Muller, Frank Fellows, W.Pickwood e Willie Robson; Alberto Amorim, S.T.Marsh, L.Griffith, C.Chalmers e J.Amorim. – Reservas: O.Von Sohsten, A.Lundgren, Linesman e Guilherme Aquino. O Nautico venceu pelo surpreendente escore de 3 x1, com participação decisiva de Thomas Logan Griffith ou L.Griffith no único gol da equipe rubro-negra. Consta que Thomas L. Griffith transmitiu sua paixão pelo rubro negro da Ilha do Retiro a todos os seus familiares e assistia aos jogos com seus filhos. Começava aí a grande rivalidade do denominado “Clássico dos Clássicos”.
 

 
• 1916 - Primeiro Título Estadual e o primeiro Clássico das Multidões

Primeira vez que o Sport disputa o Pernambucano e vence o campeonato numa final realizada no dia 16/12 contra o Santa Cruz que acabou em 4x1, o primeiro Clássico das Multidões. Com gols de Mota (2), Asdrúbal e Vasconcelos. O Sport inova trazendo o zagueiro Paulino do América do Rio.
 
Time do Sport: Cavalcanti, Briant e Paulino; Town, Robson e Smerthurst; Asdrúbal, Mota, Anagam, Vasconcelos e Smith.

• 1917 - Primeiro Bicampeonato
 
O Sport, reforçado pelo atacante Ciro Werneck oriundo do Botafogo, vence de virada o Santa Cruz por 3x1 e levanta o seu primeiro Bicampeonato Pernambucano.

 
Time do Bicampeonato: Cavalcanti, Briant e Paulino; William, Teague e Salazar; Hogger, Werneck, Tobias, Batista e Zé Luís.

  • 1918 - O Sport começa a mandar seus jogos no Campo da Avenida Malaquias

Campo da Avenida Malaquias, pertenceu ao Sport de 1918 até 1937, o primeiro estádio do clube rubro-negro, cuja arquibancada de madeira e ferro foi comprada junto ao Fluminense/RJ. O Sport jogou lá  exatamente 235 vezes.
A estrutura do campo era de 75 metros de comprimento e 40 metros de largura – foi trazida de navio para o Recife. O Flu se desfez de seu antigo estádio após construir as Laranjeiras, que se tornou o maior do Brasil. Já o estádio leonino supriu uma grande carência do futebol pernambucano, que tinha apenas campos murados.


A área onde um dia existiu a velha casa rubro-negra hoje abriga o clube AABB. O Sport jogou pela primeira vez no Campo da Avenida Malaquias em 2 de junho de 1918 (foto acima), contra o Torre, pelo primeiro turno do Estadual. O Leão venceu por 4 x 3, com gols de Batista e Tobias (2 cada um). Na imagem abaixo (de 1925), o destaque é a presença de carros estacionados na beira do campo. Naquela época, o futebol era um dos eventos sociais mais destacados do Recife.
 
 
Um dos jogos mais importantes da história do estádio aconteceu em 1919, quando o Santa Cruz ganhou do Botafogo/RJ por 3 x 2, em 30 de janeiro. Aquela vitória foi comemorada na cidade como um título, pois foi a primeira vez que um time nordestino conseguiu bater um clube carioca.
 

Campo da Avenida Malaquias
Capacidade: 8.000 pessoas (sendo 2 mil sentadas)
Inauguração: América 3 x 1 Flamengo (do Recife), em 15 de maio de 1918
Recorde de público: 8 mil espectadores (década de 30)

A Seleção Brasileira também jogou lá, veja os placares:
Jogos da Seleção Brasileira (todos em 1934)
Brasil 5 x 4 Sport
Brasil 3 x 1 Santa Cruz
Brasil 8 x 3 Náutico
Brasil 5 x 3 Seleção Pernambucana
Brasil 2 x 3 Santa Cruz 

 
 

 

 
• 1919 - Primeira Excursão e mudança do Escudo

Sport, como sempre pioneiro, faz uma excursão para o Belém-PA, que era então um centro de futebol mais desenvolvido. Empatou em 3x3 contra um combinado Remo-Paysandu. Em seguida, na disputa do troféu Leão do Norte, um belo troféu onde havia uma escultura de um leão, o Sport venceu o mesmo combinado por 3x2, levando o troféu, o que deixara inconformada a torcida paraense que tentou retomar o cobiçado troféu, ocasião em a cauda do leão foi partida. A partir desta conquista, foi criado o escudo rubro-negro, com um leão como símbolo.

Time-base: Franco, Chalmers e Armindo; Manta, Mazulo I e Eurico; Salazar, Baptista, Mazulo II, Benedicto e Rodrigues.
O responsável pela arte foi o desenhista Armando Vieira dos Santos,
que se baseou na Heráldica das armas escocesas para a elaboração do escudo.

 
O troféu é mantido até os dias de hoje, com sua cauda partida,
unida por um laço, na Sala dos Troféus, na sede do Clube.
 
 
• 1920 - Sport conquista seu 3º título estadual

O Campeonato Pernambucano de Futebol de 1920 foi a sexta edição do campeonato estadual de Pernambuco. Foi disputado por oito equipes em sistema de pontos corridos com jogos de ida e volta.
Apesar de o campeonato ter sido disputado em turno único com sistema de pontos corridos, Sport e Santa Cruz empataram em pontos ao final do torneio. Por isso, disputaram duas partidas extras, em março e abril de 1921, para a determinação do campeão de 1920.


 •  1923/1924/1925 - Primeiro Tricampeonato

O Sport conquista o seu primeiro Tricampeonato Pernambucano. Em 1923 uma campanha quase perfeita, 12 jogos com 11 vitórias e apenas 1 derrota. Em 1924 mais uma boa campanha, 13 jogos com 11 vitórias, 1 empate e 1 derrota. Fechando o tricampeonato, em 1925, o Sport soma 7 vitórias, 2 empates e 1 derrota.

1923
Time-base: Antoninho, Alarcon, Pedro Sá, Ademar, Jack, Matias, Witham, Benedicto, Péricles, Ari e Aluysio Caldas. 
1924
Time-base: Fritz Dieffenbarcker, Afonso Alarcon, Adhemar Pereira, Pedro Sá, Mathias Adour, William Whittman, Jô Soares, José Miranda, Péricles Caldas, Aluysio Caldas, Ary Pires Ferreira.

1925
Time-base: Jucá; Altino e Pedro Sá; Ademar, Matias Adour e Aureliano; Witham, Dubeux, Péricles, Ari e Aluysio Caldas.
 
• 1928 - Sport conquista seu 7º título estadual
O Campeonato Pernambucano de Futebol de 1928 foi a décima quarta edição do campeonato estadual de Pernambuco. Foi disputado por sete equipes em sistema de pontos corridos com jogos de ida e volta. 
 Time-base: Joãozinho, Alarcon, Ademar, Ary, Aureliano, Bulhões, Jubal, Péricles, Zezé e Aluysio Caldas.


 
• 1935 - A Sede.


Sport compra o terreno da sua sede, uma chácara, excelente, com 14 hectares, na freguesia de Afogados, Ilha do Retiro, nº 56. A data história é 29 de novembro e o preço pago pela então chamada "Chácara da Ilha do Retiro" foram 53 contos de réis.

• 1937 - A Ilha do Retiro.

Em 4 de julho daquele ano, o Sport inaugura o estádio da Ilha do Retiro – que mais tarde viria a se chamar Adelmar Costa Carvalho, em homenagem ao presidente campeão de 1955 e 1956. A festa se deu em um amistoso contra o Santa Cruz, com vitória rubro-negra por 6x5. Os destaques do jogo foram Danzi e Haroldo Praça, que marcou o gol da vitória. No dia 11 de julho houve o primeiro jogo do Campeonato Pernambucano realizado no estádio: Sport x Tramways que acabou 2x2.
 
• 1938 - Sport conquista seu 8º título estadual
O Campeonato de 1938 foi disputado em três etapas: na primeira, denominada Turno Eliminatório, as oito equipes jogaram entre si em turno único. As seis primeiras se classificariam para as etapas seguintes. Como houve um empate entre 6º e 7º colocados, foi realizado um play-off não previsto para determinar o outro eliminado. As duas fases seguintes foram denominadas Primeiro Turno e Segundo Turno. As seis equipes jogaram entre si uma vez em cada turno. A final seria disputada entre os campeões de cada turno, mas não foi necessária. Não houve finais, por que o Sport venceu os dois turnos.
 
 • 1941 - Sport conquista seu 9º título estadual e a primeira excursão do Sport ao Sudeste
O Campeonato Pernambucano de Futebol de 1941 foi a 27ª edição do campeonato estadual de Pernambuco. Foi disputado por sete equipes em dois turnos. A final seria disputada entre os campeões dos turnos, mas ela não foi necessária. Naquela mesma temporada, mais uma vez pioneiro em Pernambuco, no final de 1941 realizou a primeira excursão de um clube pernambucano para o sudeste do país. O Sport, em três meses de viagens, passou por Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte, Paraná, Porto Alegre. Ao todo, o Leão disputou dezessete jogos, obtendo onze vitórias, dois empates e apenas quatro derrotas. Marcou cinquenta e três gols, sofreu trinta e três. Teve vitórias marcantes, como a goleada em cima do Atlético Mineiro por 4 x 2.
 

 
 • 1942 - O Sport conquista seu 10º título estadual e brilha em gramados do Sul

No Campeonato de 1942, as cinco equipes disputaram cinco turnos. Em cada turno, as equipes jogaram entre si uma vez. A final seria realizada entre os vencedores dos turnos, mas não houve por que uma das equipes venceu quatro dos turnos.

No início dos anos 40 havia uma diferença muito grande do futebol do Sudeste e do Sul para o futebol do Norte/Nordeste. Jamais um time nortista tivera a audácia de empreender uma temporada pelo Sul/Sudeste do Brasil. Em dezembro de 1941, o Sport começou a realizar sua temporada pelo Sul e Sudeste do país, que para muitos, jornalistas e até torcedores era uma excursão suicida.
 
O Sport jogou em Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Disputou dezessete partidas, vencendo onze: 5x1 América-MG, 4x2 Atlético-MG, 1x0 Britânia-PR, 4x0 Coritiba-PR, 3x1 Coritiba-PR, 5x0 Savóia-PR, 5x3 Joinville-SC, 3x2 Força e Luz-RS, 3x0 Grêmio-RS, 5x4 Vasco-RJ e 3x1 Flamengo-RJ), empatando dois (0x0 Palestra Itália-MG e 2x2 Internacional-RS) e perdendo apenas quatro jogos (1x3 Flamengo-RJ, 3x4 Santos-SP, 5x8 Juventus-SP e 1x2 Coritiba-PR).
 
O time do Sport impressionou a imprensa e aos clubes do Sul. Alguns de seus jogadores foram contratados para jogar em outros clubes. Zago, Djalma e Ademir ficaram no Vasco. Magri no América-RJ. Pirombá no Flamengo, e Pinhegas no Fluminense. Esta temporada ficou marcada na história do futebol pernambucano.
 
O plantel era o seguinte: Navamuel, Bibi, Ciscador, Walfredo, Magri, Salvador, Furlan, Mulatinho, Ademir, Manoelzinho, Pirombá, Djalma, Clóvis, Zago e Pinhegas.

“ O clube do meu coração é o Sport Club do Recife. ”

— Ademir de Menezes, ídolo e artilheiro do Sport
 
• 1943 - Sport conquista seu 11º título estadual
 
O Campeonato Pernambucano de Futebol de 1943 foi a 29ª edição do campeonato estadual de Pernambuco. Foi disputado por seis equipes em dois turnos, mas o segundo não foi finalizado e não teve campeão.
 
• 1948 - Sport conquista seu 12º título estadual
 
O Campeonato Pernambucano de Futebol de 1948 foi a 34ª edição do campeonato estadual de Pernambuco. Foi disputado por cinco equipes em dois turnos. A final foi disputada entre os campeões dos turnos.

• 1949 - Sport conquista seu 13º título estadual
 
O Campeonato Pernambucano de Futebol de 1949 foi a 35ª edição do campeonato estadual de Pernambuco. Foi disputado por oito equipes em dois turnos. Após o primeiro, três equipes saíram do torneio: Flamengo (eliminado), Moinho Recife e Íbis (desistentes). A final foi disputada entre os campeões dos turnos.

• 1950 - Copa do Mundo.


 

 
 



Ilha do Retiro, o estádio foi o local que representou a região Nordeste do País durante a Copa do Mundo de 1950. Ele foi adquirido pelo Sport em março de 1936 e inaugurado em julho de 1937.
Para a Copa de 1950, os dirigentes e torcedores do clube de Recife participaram das reformas exigidas para que a Ilha do Retiro fosse sede do evento, uma vez que o clube estava em crise e não possuía verbas para garantir as exigências da Fifa. A arquibancada foi aumentada com o fechamento do anel superior, ampliando a capacidade para 20 mil pessoas. Também foram construídos os vestiários e túneis para os jogadores e juízes, além do alambrado que separava a torcida do campo.
Durante o Mundial, o estádio recebeu apenas um jogo: a vitória do Chile sobre os EUA por 5 a 2.









• 1953 - Sport conquista seu 14º título estadual
 
O Campeonato Pernambucano de Futebol de 1953 foi a 39ª edição do campeonato estadual de Pernambuco. Foi disputado por sete equipes em dois turnos, sendo que ao final do primeiro, a pior equipe foi eliminada. A final foi disputada entre os campeões dos turnos.
 

• 1955 - Cinqüentenário e o Sport conquista seu 15º título estadual.

Sport é campeão no seu cinqüentenário, vencendo o Náutico por 3x2 sob o comando de Gentil Cardoso e destaques como Moreira, Traçaia, Naninho, Gringo, Soca. Time da final: Osvaldo, Bria e Pedro Matos, Osvaldinho, Eli e Pinheirense, Traçaia Naninho Gringo, Soca e Geo.
 
 

0 comentários:

Postar um comentário

Campeonato Brasileiro Série A