8 de set de 2010

Histórico 1956-2005

• 1956 - Sport conquista seu 16º título estadual

O Campeonato Pernambucano de Futebol de 1956 foi a 42ª edição do campeonato estadual de Pernambuco. Foi disputado por oito equipes em dois turnos. Após o primeiro, o líder se classificaria para a final e os três últimos foram eliminados da disputa do segundo turno, cujo vencedor também se classificaria para a final.

• 1957 - Excursão pela Europa

Faz sua primeira excursão ao "Velho Mundo" e apesar das muitas dificuldades e contusões durante a viagem, conquistou resultados significativos. Estes foram os Resultados:

Sporting Clube de Portugal (Sporting Lisboa) 5 x 1 Sport

Seleção de Israel 2 x 2 Sport

Haifa-Macabi 1 x 5 Sport (estréia de Manga)

Seleção de Israel 2 x 5 Sport

Selecionado de Haifa 1 x 3 Sport

Seleção da Turquia 2 x 5 Sport

Fenerbache 2 x 3 Sport

Besiktas 2 x 2 Sport

Beykoz 3 x 2 Sport

Seleção da Turquia 1 x 2 Sport

Real Madrid 5 x 2 Sport (público superior a 30 mil pessoas)

Marseille 8 x 0 Sport

Stade-Reims 6 x 2 Sport

Sochaux 5 x 4 Sport

Fortuna Düsseldorf 1 x 1 Sport

Fortuna Düsseldorf 3 x 0 Sport Osasuña 7 x 2 Sport

Foram 17 jogos, com 6 vitórias, 3 empates e 8 derrotas, com 40 gols pró e 60 gols .

Cartaz da partida entre Real Madrid e Sport Recife, em um amistoso feito na excursão do Sport a Europa.

• 1958 - Sport conquista seu 17º título estadual e morte de seu fundador

O Campeonato Pernambucano de Futebol de 1958 foi a 44ª edição do campeonato estadual de Pernambuco. Foi disputado por nove equipes em dois turnos. E o Sport se sagrou campeão após conquistar os dois turnos.
 
Morreu em 28 de agosto de 1958, com 73 anos o fundador do Sport Club Recife,
o engenheiro e ex-atleta Guilherme de Aquino Fonseca.

• 1961 - Sport conquista seu 18º título estadual

O Campeonato Pernambucano de Futebol de 1961 foi a 47ª edição do campeonato estadual de Pernambuco. Foi disputado por sete equipes em dois turnos.


• 1962 - Sport conquista seu 19º título estadual
O Campeonato Pernambucano de Futebol de 1962 foi a 48ª edição do campeonato estadual de Pernambuco. Foi disputado por seis equipes em dois turnos.


• 1975 - Fim do jejum

O Sport põe fim a um longo período sem títulos e conquista o 20º campeonato de sua história, com a equipe que ficou conhecida como o Supertime da Ilha.



“ O Sport Club do Recife fez, fez um Supertime! Hoje vai jogar o Supertime da Ilha, hoje vai jogar! ”

— Quinteto Violado



• 1977 - Um jogo de 158 minutos O Sport conquista seu 21º título pernambucano numa partida sensacional contra o Náutico. Nos 90 minutos regulares houve uma vitória do Náutico por 1x0, quando o empate favoreceria o Sport. Veio então a primeira prorrogação, depois a segunda, a terceira, e só na quarta prorrogação, com 158 minutos de jogo e os jogadores exaustos, Mauro, quase caindo, num esforço sobre-humano chutou certeiro decretando a vitória do Sport.


Time da final: Gilberto, Cardoso, Samuel, Djalma e Nelsinho; Cacau e Pitta (Tovar); Amílton Rocha (Roberto), Mauro, Totonho e Darci. Téc Ênio Andrade.

• 1978 - Sport fora do Estadual

Sport briga com a federação pernambucana e não disputa o pernambucano deste ano, o presidente do Sport diz "em pescoço de leão, canga não. Só a Juba" o presidente acusava a FPF de ser sempre a "campeã" nos campeonatos pernambucanos. O conselho do Sport apoiou unanimemente o presidente e o Sport não entrou na disputa.

• 1980 - Sport conquista seu 22º título estadual e faz sua primeira reforma na Ilha do Retiro
O Campeonato Pernambucano de Futebol de 1980 foi a 66ª edição do campeonato estadual de Pernambuco. Foi disputado por dez equipes.Primeira reforma da Ilha do Retiro Sport inaugura a primeira reforma da ilha, levantando o setor onde hoje fica o setor de Arquibancada e as gerais e o seu placar eletrônico.





• 1981 - Sport conquista seu 23º título estadual o (Super-Campeão).

O Sport vence o Náutico por 2x0 e levanta o Bicampeonato Pernambucano, sendo este um Supercampeonato.


Time da Final: País, Vilson, Marião, Aílton e Chico Fraga; Merica, Givanildo e Denô; Nilson (Hêider), Roberto e João Carlos (Édson). Tec: Orlando Fantoni

“ Ser Sport é inexplicável! ”

— Ariano Suassuna, escritor, poeta e dramaturgo

• 1982 - Sport conquista seu 24º título estadual o Terceiro Tri

O Sport conquista seu terceiro Tricampeonato diante de um jogo duríssimo contra o Central onde só conseguiu dobrar os caruaruenses com um gol no segundo tempo da prorrogação. Neste mesmo ano o Sport perde o seu lateral Carlos Alberto Barbosa que se sentiu mal durante o jogo, foi levado ao hospital e não resistiu.

Time da Final: Serginho; Betão, Marião, Aílton e Augusto; Merica, Givanildo e Édson; Chiquinho (João Carlos), Carrasco (Roberto) e Joãozinho. Tec: Roberto Brida


• 1987 - Sport Club do Recife Campeão do Campeonato Brasileiro Série A. Sport é o campeão Campeonato Brasileiro da Série A. Conquistando este título dentro e fora campo.

Taça Roberto Gomes Pedrosa
Módulo Amarelo

Sport 1 x 1 Atlético-PR 16/9

Sport 2 x 0 Guarani 20/9

Sport 3 x 0 Criciúma 23/9

Joinville 0 x 1 Sport 27/9

Portuguesa 1 x 1 Sport 30/9

Atlético/GO 0 x 0 Sport 4/10

Rio Branco/ES 0 x 1 Sport 7/10

Sport 4 x 0 Inter de Limeira 11/10 Segundo Turno

Sport 2 x 1 Ceará 25/10

Bangu 2 x 0 Sport 28/10

Náutico 0 x 1 Sport 1/11

Sport 0 x 0 Vitória/BA 8/11

CSA/AL 0 x 1 Sport 11/11

Sport 2 x 1 Treze 14/11

Semifinal

Bangu 3 x 2 Sport 25/11

Sport 3 x 1 Bangu 29/10 Obs.: Flamengo e Internacional, campeão e vice do Módulo verde, correram com medo, e se recusaram a jogar com Sport e Guarani respectivamente, conforme previa o regulamento da Competição. 

Final do módulo amarelo

Guarani 2 x 0 Sport 6/12

Sport 3 x 0 Guarani 13/12

Nos pênaltis empate em 11x11 e divisão do módulo amarelo. (Após terminar a prorrogação sem gols, a decisão foi para os pênaltis. Quando a disputa estava em 11 x 11, Sport e Guarani entraram num consenso determinando o fim da disputa e a divisão do título.)

Taça original do Módulo Amarelo a Taça Roberto Gomes Pedrosa do Campeonato Brasileiro Série A de 1987 na sala de troféus do Estádio da Ilha do Retiro. 

Quadrangular Final (Módulo Verde + Módulo Amarelo)


Quadrangular Final
TimesPtsJVEDGPGCSG
1Sport3211012+1
2Guarani1201112-1
3Flamengo0WO000000
4Internacional0WO000000



Campeão e Classificado para Libertadores de 1988

Vice e Classificado para Libertadores de 1988
 

24/Jan/1988 Guarani W.O. Flamengo [concedido 1-0]
24/Jan/1988 Sport W.O. Internacional [concedido 1-0]
27/Jan/1988 Guarani W.O. Internacional [concedido 1-0]
27/Jan/1988 Sport W.O. Flamengo [concedido 1-0]

Finais*

GUARANI 1X1 SPORT
Data: 30 de janeiro de 1988
Local: Brinco de Ouro da Princesa
Juiz: Carlos Elias Pimentel (RJ)
Público: 4.627 pagantes
GUARANI: Sérgio Neri, Giba, Luciano, Ricardo Rocha e Albéris (Gil Baiano); Paulo Isidoro, Nei (Carlinhos) e Marco Antônio Boiadeiro; Catatau, Mário Maguila e João Paulo. Técnico: Carbone.
SPORT: Flávio, Betão, Estevam, Marco Antonio e Zé Carlos Macaé; Rogério, Zico e Ribamar (Disco); Robertinho, Nando (Augusto) e Neco. Técnico: Jair Picerni.
Gols: Betão (pênalti) aos 7 min do 2º tempo; Catatau (pênalti) aos 17 min do 2º tempo

SPORT 1X0 GUARANI
Data: 7 de fevereiro de 1988
Local: Ilha do Retiro
Juiz: Luís Carlos Félix
Público: 26.282 espectadores;
SPORT: Flávio, Betão, Estevam, Marco Antônio e Zé Carlos Macaé; Rogério, Ribamar (Augusto) e Zico; Robertinho, Nando e Neco. Técnico: Jair Picerni.
GUARANI: Sérgio Nery, Gil Baiano, Luciano, Ricardo Rocha e Albéris; Paulo Isidoro, Nei (Carlinhos) e Marco Antônio Boiadeiro; Catatau (Mário), Evair e João Paulo. Técnico: Carbone.
Gol: Marco Antônio, aos 19 do 2º tempo;

Houve duas finais entre Sport e Guarani, a primeira é referente apenas ao Módulo Amarelo. Nesta fase a CBF estabeleceu que houvesse um quadrangular entre os campeões do módulo amarelo e o campeão e vice do Módulo Verde para decidir qual seria o campeão de 87. Flamengo e Internacional não participaram desse quadrangular final criado pela CBF porque o Clube dos 13 considerou que o Módulo Amarelo não fazia parte da Copa União e que o regulamento havia sido alterado pela CBF sem o consentimento dos clubes participantes do módulo Verde e dos outros organizadores do campeonato.

O capitão Estevam Soares erguendo a Taça Caixa Econômica Federal - Taça das Bolinhas - Copa Brasil. Pois as equipes levantavam essa taça e apenas recebiam a referente ao ano da conquista, para exibi-las em suas salas de troféus. E não para ergue-las em campo.

Em pé - Betão, Estevam Soares(C), Flávio, Rogério, Marco Antonio e Macaé. Agachados - Robertinho, Ribamar, Nando, Zico e Neco.
Veja o vídeo da final na postagem "Vídeos". 

Taça Caixa Econômica Federal (Taça das Bolinhas - Copa Brasil, referente ao vencedor do Campeonato Brasileiro três vezes seguidas ou cinco vezes alternadamente) ao lado da Taça Copa Brasil 1987 (referente ao Campeonato Brasileiro Série A de 1987) expostas na sala de troféus do Estádio da Ilha do Retiro, no ano da celebração da conquista.

Taça Copa Brasil 1987, referente ao Campeonato Brasileiro Série A de 1987, exposta apenas em ocasiões especiais. sendo guardada nos cofres da Caixa Econômica Federal. 
 
Taça Copa Brasil 1987 (Réplica), exposta na sala de troféus do Estádio da Ilha do Retiro.
 

• 1988 - Sport conquista seu 25º título estadual e disputou a Copa Libertadores

O Sport vence mais um Pernambucano ao bater o Náutico nas duas finais (1x0 no Arruda e 4x1 na Ilha do Retiro).

E disputa a Taça Libertadores da América, representando o Brasil por ter sido Campeão Brasileiro em 1987. O grupo no qual o Sport participou foi:

Grupo 5 [Brasil, Peru] Placar

Jul 1:Universitário X Alianza Lima 2-0

Jul 2: Sport X Guarani 0-1

Local: Adhelmar da Costa Carvalho (Ilha do Retiro) - Recife

Data: 02/07/1988 (Sábado)

Horário: 21:00 h

Árbitro: José Roberto Wright (RJ)

Assistentes: Gilvan Pereira da Silva(AL) e J. A. Aragão (SP)

1o. tempo: Guarani 1 X 0 - Zico (contra) aos 16 min.

Renda: Cz$ 6.431.900,00

Público: 27.860 (25.691 pagantes e 2.169 menores)

Sport - Flávio, Betão, Vagner Basílio, Marco Antonio e João Pedro (Edson); Dinho, Ribamar e Zico, Robertinho, Augusto (Nando) e Neco. Técnico: Zé Amaral.

Guarani - Sérgio Neri, Marquinhos, Vagner, Ricardo Rocha (Marcão) e Albéris; Paulo Isidoro, Tosin e Boiadeiro, Neto (Pedrinho Maradona), Evair e João Paulo. Técnico: José Luiz Carbone.

Jul 8: Alianza Lima X Guarani 2-1

Jul 12: Universitário X Guarani 1-1

Jul 18: Universitário X Sport 1-0

Jul 22: Alianza Lima X Sport 0-1

Ago 3: Alianza Lima X Universitário 0-0

Ago 3: Guarani X Sport 4-1

Local: Brinco de Ouro da Princesa - Campinas

Data: 03/08/1988 (Quarta-feira)

Horário: 21:30 h

Temperatura: 16°C

Árbitro: Carlos Sérgio Rosa Martins (RS)

Assistentes: J. A. Aragão (SP) e Gilvan Pereira da Silva(AL)

1o. tempo: 1 X 1 - Robertinho aos 25 min. e Neto (pênalti) aos 42 min.

Final: Guarani(SP) 4 X 1 Sport - Careca aos 16 min., Neto aos 22 min. e Toni aos 25 min.

Renda: Cz$ 798.000,00

Público: 2.098 (1.596 pagantes e 502 não pagantes)

Guarani - Sérgio Neri, Marquinhos, Marcão, Ricardo Rocha (Careca) e Albéris; Tosin, Barbieri e Mauro Silva, Neto, Toni e João Paulo (Pedrinho Maradona). Técnico: Eli Carlos.

Sport - Flávio, Betão, Aílton, Marco Antonio e Neco; Dinho, Ribamar e Zico; Robertinho, Augusto e Edson. Técnico: José Amaral.

Ago 16: Sport X Alianza Lima 5-0

Ago 19: Guarani X Alianza Lima 1-0

Ago 23: Sport X Universitário 0-0

Ago 26: Guarani X Universitário 1-1

Classificação-Final :J V E D GP GC SG

1.Guarani (Campinas) :6 3 2 1 9 5 8

2.Universitario (Lima) :6 2 4 0 5 2 8

3.Sport (Recife) :6 2 1 3 7 6 5

4.Alianza (Lima) :6 1 1 4 2 10 3

Infelizmente o Sport não se classificou para a fases seguinte da competição, terminando na classificação geral na 15ª posição, quem se sagrou campeão foi o Nacional do Uruguai após derrotar o Newell's Old Boys da Argentina.

• 1989 - Vice-campeão da Copa do Brasil

O Sport chega a final da 1ª Copa do Brasil, contra o Grêmio, mas fica com o Vice-campeonato.

• 1990 - Sport Club do Recife Campeão do Campeonato Brasileiro Série B

O Sport Club do Recife sagrou-se Campeão Brasileiro de Futebol da 2ª Divisão de 1990, ao empatar com o Atlético Paranaense na Ilha do Retiro, na grande final. A campanha do rubro-negro pernambucano foi a seguinte: 7 vitórias, 15 empates e 2 derrotas. Marcou 22 gols e sofreu 14. O campeonato contou com 24 clubes e teve como artilheiro da competição Rivelino, da Catuense da Bahia, com 11 gols. O Campeonato teve: 194 jogos, 345 gols marcados, média de 1,73 gols por partida. O Guarani de Campinas-SP teve o melhor ataque com 29 gols, além de aplicar a maior goleada, 6 x 1 no Moto Clube do Maranhão. O Central de Caruaru e o Joinville de Santa Catarina tiveram as defesas menos vazadas, com apenas 8 gols sofridos. O Santa Cruz, terminou o campeonato em 17º, e o Central de Caruaru em 20º.  O Sport  disputou 24 jogos para levantar a taça. O Sport contou com a experiência do goleiro Paulo Victor, que já havia ganho o campeonato brasileiro da 1ª divisão pelo Fluminense; o excelente Ailton, que ganhou diversos estaduais pelo rubro-negro, além de ganhar a Bola de Prata da revista Placar dois anos depois, além do ex-palmeirense Marcio Alcântara.

Alencar autor do gol em Curitiba, disputa com Valdir na
Ilha do Retiro. Foto: Diário de Pernambuco.


1ª Fase:
18/8- Ceará 1 x 0 Sport
25/8- Sport 0 x 0 Moto Clube (MA)
1/9- Remo 0 x 0 Sport
8/9- Sport 1 x 1 Santa Cruz
15/9- Sport 2 x 0 Treze
22/9- Santa Cruz 1 x 1 Sport
29/9- Moto Clube (MA) 0 x 0 Sport
2/10- Sport 0 x 0 Remo
13/10- Treze 1 x 3 Sport
20/10- Sport 2 x 0 Ceará
Classificaram para a 2ª fase: Sport, Moto Clube, Remo e Ceará.
2ª Fase:
28/10- Remo 0 x 0 Sport
31/10- Sport 0 x 0 Itaperuna-RJ
4/11- Operário-PR 2 x 1 Sport
11/11- Itaperuna-RJ 1 x 1 Sport
14/11- Sport 1 x 1 Operário-PR
18/11- Sport 1 x 0 Remo
Classificaram para a 3ª fase: Operário-PR e Sport
3ª Fase:
21/11- Sport 0 x 0 Guarani-SP
24/11- Juventude-RS 1 x 1 Sport
28/11- Moto Clube-MA 0 x 1 Sport
2/12- Sport 3 x 2 Moto Clube-MA
5/12- Sport 2 x 1 Juventude-RS
9/12- Guarani-SP 1 x 1 Sport
Finalista: Sport
Final: 1º Jogo
12/12- Atlético-PR 1 x 1 Sport
Local: Pinheirão (Curitiba)
Público: 6.914 torcedores
Renda: CR$ 3.076.500,00
Gols: Luis Carlos Martins (Atlético) aos 4 min. do 2º Tempo, e Alencar (Sport) aos 39 min do 2º Tempo
Árbitro: Pedro Carlos Bregalda (RJ)
Atlético-PR formou com: Toinho; Odemilson, Heraldo, Fião e Ademar; Valdir, Luís Carlos Martins e Carlinhos; Ratinho, Kita e André. Técnico: Julinho.
Sport Recife formou com: Paulo Victor; Givaldo, Ailton, Marcio Alcântara e Glauco; Agnaldo, Alencar e Marcus Vinícius; Joécio (Fábio), Sérgio Alves e Neco (Assis). Técnico: Brida.
2º Jogo
16/12- Sport 0 x 0 Atlético-PR
Local: Ilha do Retiro (Recife)
Público: 22.712 torcedores
Renda: CR$ 9.382.800,00
Árbitro: Wilson Carlos dos Santos (RJ)
Sport Recife formou com: Paulo Victor; Lopes, Ailton, Marcio Alcântara e Glauco; Agnaldo, Alencar e Marcus Vinicíus; Mirandinha (Joécio), Luis Carlos (Fábio) e Neco. Técnico: Brida.
Atlético-PR formou com: Toinho; Odemilson, Heraldo, Fião e Ademar; Valdir, Luis Carlos Martins e Carlinhos; Ratinho (Dirceu), Kita (Tico) e André. Técnico: Julinho.
Os dez melhores colocados:
1º) Sport Recife-PE*
2º) Atlético-PR*
3º) Guarani-SP
4º) Catuense-BA
5º) Operário-PR
6º) Juventude-RS
7º) Criciúma-SC
8º) Moto Clube-MA
9º) Juventus-SP
10º) Botafogo-SP
* Times que ascenderam a 1ª divisão em 1991.
 
Por: Jânio Odon de Alencar
Fonte: Arquivo Pessoal e Diário de Pernambuco

Taça do Campeonato Brasileiro Série B 1990 na sala de troféus do Estádio da Ilha do Retiro.


Equipe do Sport Club do Recife em 1990.
Esq./Dir. (Pé) Neco, Lopes, Lourenço, Silvio, Fábio, Ailton, Bartô, Marcio Alcântara, Flávio, Marcio, Givaldo e o penúltimo técnico Brida; (sentados) Joécio, Gilberto Gaúcho, Dinho, Zico, Paulo Victor, Mirandinha, Sérgio Alves, Agnaldo e Alencar.

• 1991 - Sport conquista seu 26º título estadual
O Campeonato Pernambucano de Futebol de 1991 foi a 77ª edição do campeonato estadual de Pernambuco. Foi disputado por 12 equipes.



• 1992 - Sport conquista seu 27º título estadual
O Campeonato Pernambucano de Futebol de 1991 foi a 78ª edição do campeonato estadual de Pernambuco. Foi disputado por 12 equipes.


• 1994 - Sport conquista seu 28º título estadual e é o Campeão da 1ª Copa do Nordeste

O Sport, comandado por Givanildo Oliveira, conquista o 28º título pernambucano e a Copa Nordeste, em Alagoas, vencendo o anfitrião CRB nos pênaltis após um empate no tempo normal por 0x0.

Time do Sport em 1994: (em pé) Gilton, Adriano, Alberico, Jéfferson, Bosco, Borçato, Juninho Pernambucano, Lima e Givaldo; (no meio) Dedé, Ataíde, Dario, Pig, Gilberto Gaúcho, Joca, Marquinhos Brasília, Marcelo e Sandro; (em baixo) Leandro, Erlon, Marinaldo, Saulo, Fábio, Wender, Sério Luiz, Chiquinho e Márcio Pereira.

Time da Final da Copa do Nordeste 1994; Jéfferson, Givaldo, Adriano, Sandro e Dedé; Dário, Chiquinho (Joca) e Juninho; Leonardo (Saulo), Fábio e Zinho. Téc.: Givanildo Oliveira.
Taça da Copa do Nordeste 1994 na sala de troféus do Estádio da Ilha do Retiro. 

Veja o vídeo da final na postagem "Vídeos".

• 1996 - O início do Penta, o 29º estadual.

O Sport conquista o seu primeiro título de uma série de cinco consecutivos num campeonato muito movimentado, onde o Santa venceu o primeiro turno e o Sport os dois seguintes. A finalíssima tornou-se um duelo particular entre Abel Braga (treinador do Santa) e Hélio dos Anjos (treinador do Leão), que acabou levando a melhor na final com um empate de 1x1, sendo o gol do Sport marcado por Luis Müller. O Sport terminou o campeonato com a brilhante marca de 22 Vitórias, 11 empates e duas derrotas (para o Central e para o Santa, em 7 de abril de 1996, depois de ficar 3 anos sem perder para o seu maior rival).


Jogadores que participaram da campanha: Albérico, Russo, Adriano, Chico Monte Alegre, Chiquinho, Luís Müller, Ataíde, Marcão, Marcelo, Joãozinho, Dedé, Dário, Érlon, Gaúcho, Edinan, Rogério, Pig, Givaldo, Wallace e Gilvan. Téc.: Hélio dos Anjos.

• 1997 - Bicampeonato, o 30º estadual.

Foi um campeonato teoricamente mais fácil do que o de 1996. Os adversários mais competitivos do Leão foram o Recife e o Porto, este último disputou a final com o Sport. O Rubro-negro venceu por 2x0 com gols de Leonardo e Didi. Em 27 jogos o Leão venceu 18, empatou 7, e perdeu outros 2. Leonardo foi o grande detaque do Sport no torneio.


Jogadores que participaram da campanha: Albérico, Marcinho, Márcio, Jackson, Juninho Petrolina, Ildo, Valdomiro, Rogério, Didi, Érlon, Wallace, Luís Müller, Saulo, Dedé, Dário, Leomar, Batistinha, Wanderley , Fabiano, Marcelão, Neto, Gláuber, Rômulo, Marcinho Sergipano, Pig, Douglas, Ricardo, Esquerdinha, Ronald, Montanha, Junior e Chico Monte Alegre.

• 1998 - Tricampeão Invicto, o 31º estadual.

Com uma certa facilidade o Sport venceu mais um Campeonato e conquistou o Tri de forma invicta. O jogo final foi disputado novamente contra o Porto, e o Sport venceu por 2x0 numa Ilha lotada com 57 mil pessoas, batendo o recorde de público do estádio. Os dois gols da final foram marcados por Irani. O destaque rubro-negro foi o meia Jackson e o goleador Maurício Pantera com 10 gols.

• 1999 - Tetra, o 32º estadual.

Um Santa Cruz mais reforçado com os argentinos Mancuso e Almandoz não conseguiu barrar a fúria do Leão por mais um Título Pernambucano. O tricolor chegou a vencer um turno, enquanto o Sport venceu os outros dois. Na final realizada na Ilha do Retiro, o Sport bateu o rival por 2x1 com gols de Nildo e Leonardo.


Elenco: Albérico, Bosco, Sandro Blum, Márcio, Sangalleti, Erlon, Wílson Gottardo, Saulo, Cheppo, Wallace, Juninho Rodrigues, Leandro, Vítor, Nildo, Dário, Guttemberg, Cris, Leomar, Juninho Petrolina, Irani, Dida, Rogério, Neto, Márcio Ferrari, Velasquez, Rosivaldo e Márcio Alan.


• 2000 - Pentacampeão, o 33º título estadual. O Bicampeonato da Copa do Nordeste e Finalista da Copa dos Campeões.

O Sport conquista o incontestável título de pentacampeão pernambucano. Como no ano anterior, o Sport venceu o primeiro e o terceiro turno perdendo para o Santa Cruz o segundo turno. Na final, vence o rival por 3 x 2.



No mesmo ano, levanta o Bicampeonato da Copa do Nordeste, sob o comando do técnico Celso Roth após empate em 2x2 contra o Vitória na Ilha do Retiro e chega à final da Copa dos Campeões, perdendo o título para o Palmeiras por 2 x 1.
Taça da Copa do Nordeste 2000 na sala de troféus do Estádio da Ilha do Retiro.  

Veja o vídeo da final na postagem "Vídeos".

• 2001 - Deu tudo errado

Sport no pernambucano não conquista o hexa. Até chega na final da Copa do Nordeste, mas é derrotado pelo Bahia por 3 x 1. No Campeonato Brasileiro de Futebol de 2001, termina na última colocação, sendo rebaixado à Série B.

• 2003 - Mais um título

O clube conquista seu 34º título de campeão pernambucano. O clube também fica em 3º na Copa do Brasil.


• 2005 - Centenário.

O Sport completa 100 anos de Glórias, em 13 de Maio de 2005. Foguetórios e um enorme buzinaço ao meio-dia marcaram a data. No domingo dia 15 fez-se uma grande carreata em alusão ao Centenário com direito a show de Jorge Aragão em frente à Ilha do Retiro. Durante o ano, a torcida Rubro-Negra deu um show à parte, tendo a melhor média de público no estadual e a 3ª melhor na 1ª fase da Série B.


Pôster do centenário do Sport Club do Recife

Moedas do centenário do Sport Recife

4 comentários:

  1. Valeu Jonatan, Obrigado. Faço tudo isso para mostrar toda história e glórias do leão do norte, o Sport Club do Recife. PELO SPORT TUDO!!!

    ResponderExcluir
  2. depois de perde o hexa denovo foi +5 anos de emoção
    2006 - campeçao
    2007 - Bic-Campeão
    2008 - Tri-Campeão
    2009 - Treta-Campeão
    2010 - Penta-Campeão
    2011 - deu tudo errado denovo

    ResponderExcluir
  3. Parabéns !

    fiquei muito informado com todas essas noticia sobre meu glorioso Sport o Leão mais feroz do mundo. Pelo Sport tudooo....

    ResponderExcluir

Campeonato Brasileiro Série A